Indicadores assistenciais

Em busca de alto padrão de qualidade e excelência no atendimento aos pacientes, o Hospital Alvorada realiza gestão, monitoramento, controle e divulgação de diversos indicadores de qualidade assistencial, que são obtidos através dos Protocolos Clínicos Gerenciados.Indicadores assistenciais são medidas padronizadas internacionalmente, com critérios, coleta de dados e análise pré-estabelecidos, que permitem a comparação com outras instituições. Estes indicadores podem ser estruturais, de processos e de resultados.

Índice de Úlcera Por Pressão (UPP) nas unidades de Terapia Intensiva Adulto

Alternate Text

A úlcera de pressão pode ser definida como uma lesão de pele causada pela interrupção sanguínea em uma determinada área, que se desenvolve devido a uma pressão aumentada por um período prolongado. Também é conhecida como úlcera de decúbito, escara ou escara de decúbito.

O que estamos mensurando?

Estamos mensurando a incidência percentual de úlcera por pressão grau II na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Alvorada. Úlcera por Pressão (UPP) é uma lesão na pele, normalmente sobre proeminência óssea, em resultado da pressão do corpo sobre determinada superfície.

Fórmula do cálculo?

(Número de pacientes que desenvolveram UPP nas UTIs / Número de pacientes expostos ao risco de adquirir UPP no referido período) x 100

 Por que isso é importante?

A UPP é uma ferida causada pela pressão que causa dano ao tecido subjacente, além de ocasionar dor e desconforto. Os pacientes que desenvolvem úlceras por pressão, enquanto hospitalizados, tem risco maior para desenvolver infecção e aumentar o tempo de internação.

O que nosso desempenho nos diz?

Desde 2011 notamos significativa redução desta taxa, sendo possível relacionar à implementação e reforço de medidas efetivas de prevenção, tais como técnica adequada para higienização da pele, uso de posicionamento adequado do paciente no leito, mudança do posicionamento em intervalos adequados, uso de colchão, travesseiros e almofadas adequados, uso de pomadas como barreira contra a umidade, entre outros.
Somente um trabalho unificado de todos os profissionais é possível a redução paulatina desse índice, mantendo foco sempre na prevenção.

Densidade de Incidência de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica (PAV)
na UTI Adulto

Alternate Text

A pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) é uma infecção relacionada à assistência à saúde e uma das mais frequentes adquiridas nas Unidades de Terapia Intensiva. A prevenção pode reduzir o número de pacientes acometidos por esta infecção e, com isso, reduzir o uso de antibióticos, reduzir o tempo de permanência destes pacientes no hospital e reduzir a mortalidade relacionada a esta complicação infecciosa.
A PAV é um processo infeccioso do parênquima pulmonar em pacientes sob ventilação mecânica por pelo menos 48 horas.

O que estamos mensurando?

Estamos mensurando a incidência de PAV na UTI Adulto do Hospital Alvorada.

Fórmula do cálculo?

(Número de pneumonia associada à ventilação mecânica na UTI adulto/Número de ventiladores mecânicos-dia) x 1000

Por que isso é importante?

Devido à gravidade e prognóstico desta patologia, procuramos reduzir a incidência da PAV, gerenciando e auditando o pacote de medidas (Bundle) para a sua prevenção, durante o período de internação dos pacientes sob ventilação mecânica na UTI.

O que nosso desempenho nos diz?

Para a densidade de incidência de PAV, observamos uma redução gradual ao longo dos anos após a implementação do bundle de prevenção desta infecção (pacote de medidas preventivas aplicadas em conjunto, tais como manutenção do decúbito elevado, realização de higiene oral, interrupção diária da sedação visando a retirada precoce da ventilação mecânica dentre outras).
Entretanto, apesar da manutenção dos nossos esforços, ocorreu um aumento na ocorrência desta infecção no ano de 2013. Passamos por revisão dos nossos protocolos, reciclagem da equipe e buscamos agregar tecnologia para alcançar a diminuição que almejamos no número de infecções. Tais medidas já tiveram reflexo positivo nos anos seguintes, quando o indicador voltou a apresentar nova queda. Em 2015, o índice manteve-se abaixo da referência regional para tal indicador.

*Referências:

1-NHSN: National Healthcare Safety Netwwork é uma organização voluntária de vigilância sanitária dos Estados Unidos, vinculado ao CDC (Center for Diseases Control) Report 2012.
2-COVISA: Coordenação de Vigilância a Saúde é responsável pela análise de indicadores de ocorrência de infecção hospitalar dos hospitais públicos e privados do município de São Paulo. Relatório 2014.

Densidade de Incidência de Infecção de Corrente Sanguínea Associada à
Cateter Central na UTI Adulto

Alternate Text

Os cateteres venosos centrais são definidos como cateteres intravasculares cuja extremidade distal fica posicionada em grandes vasos ou no coração, que são utilizados para infusão, coleta de sangue ou monitorização hemodinâmica. As infecções de corrente sanguínea (ICS) estão entre as mais comumente relacionadas à assistência à saúde. Estima-se que cerca de 60% das bacteremias nosocomiais sejam associadas a algum dispositivo intravascular. Dentre os mais frequentes fatores de risco conhecidos para ICS, podemos destacar o uso de cateteres vasculares centrais.

O que estamos mensurando?

Estamos mensurando a ocorrência de infecções da corrente sanguínea com confirmação laboratorial associada a cateter central na UTI adulto do Hospital Alvorada.

Fórmula do cálculo?

(Número de infecção hospitalar primária de corrente sanguínea associada ao uso de cateter central/Número do cateter venoso central/dia) x 1000 

Por que isso é importante?

Grande parte das ICS-CVC pode ser prevenida por meio de programas que enfoquem educação continuada, capacitação dos profissionais de saúde, adesão às recomendações durante a inserção e manuseio dos cateteres, vigilância epidemiológica das infecções relacionadas à assistência à saúde e avaliação dos seus resultados. Nos últimos anos inúmeros estudos relataram o declínio das taxas de ICS-CVC quando seguidas as recomendações de boas práticas com o CVC.

O que nosso desempenho nos diz?

Desde 2011 notamos significativa redução desta taxa, sendo possível relacionar à implementação efetiva das medidas de prevenção, tais como higiene de mãos, barreira máxima durante a inserção, preparo da pele com clorexidina, seleção do sítio de inserção e revisão diária da necessidade de permanência do CVC com pronta remoção quando não houver indicação. Evidencia-se aumento do índice no ano de 2014 e 2015, mantendo-se, ainda, abaixo da referência regional. Como plano de ação, os protocolos serão revisados e a equipe multiprofissional será envolvida, a fim de obter aderência nos programas de reciclagem e treinamento.

*Referências:

1-NHSN: National Healthcare Safety Netwwork é uma organização voluntária de vigilância sanitária dos Estados Unidos, vinculado ao CDC (Center for Diseases Control) com 1545 hospitais que realizam a notificação das infecções hospitalares. Report 2012.
2-COVISA: Coordenação de Vigilância a Saúde é responsável pela análise de indicadores de ocorrência de infecção hospitalar dos hospitais públicos e privados do município de São Paulo. Relatório 2014.

Densidade de Incidência de Infecção de Trato Urinário Associado a Sonda
Vesical Demora na UTI Adulto

Alternate Text

Infecção do trato urinário (ITU) é a infecção hospitalar mais comum, compreendendo cerca de 40% de todas as infecções adquiridas em instituições de saúde. Cerca de 70% a 88% dos casos de ITU ocorrem em pacientes submetidos a cateterismo vesical.

O que estamos mensurando?

Estamos mensurando a ocorrência de infecções do trato urinário associada à sonda vesical de demora (ITU-SVD) na UTI Adulto do Hospital Alvorada.

Fórmula do cálculo?

(Número de infecções urinárias relacionadas ao uso de sondas vesicais/ Número de sondas vesicais-dia da UTI) x 1000

Por que isso é importante?

Está bem estabelecido que a duração do cateterismo relaciona-se diretamente com o risco de desenvolver ITU e que a ocorrência desta infecção aumenta o tempo de permanência hospitalar. Os estudos mostram que a ITU-SVD pode ser racionalmente prevenida através da aplicação de intervenções baseadas em evidências, tais como passagem do cateter vesical com técnica asséptica, cuidados com a manutenção da SVD, rever diariamente a necessidade de manutenção da SVD e removê-la sempre que possível, dentre outros.

O que nosso desempenho nos diz?

Desde 2010 notamos diminuição da ocorrência dessa infecção, sendo possível relacionar à implementação efetiva das medidas de prevenção. Em 2014 houve ligeiro aumento do índice, porém manteve-se bem abaixo dos índices dos anos anteriores à implantação do bundle de prevenção de ITU-SVD. No ano seguinte, o índice apresentou nova queda devido ao monitoramento e constante treinamento da equipe envolvida com o processo.

*Referências:

1-NHSN: National Healthcare Safety Netwwork é uma organização voluntária de vigilância sanitária dos Estados Unidos, vinculado ao CDC (Center for Diseases Control) com 1545 hospitais que realizam a notificação das infecções hospitalares. Report 2012.
2-COVISA: Coordenação de Vigilância a Saúde é responsável pela análise de indicadores de ocorrência de infecção hospitalar dos hospitais públicos e privados do município de São Paulo. Relatório 2014.

Índice de Queda de Pacientes Internados

Alternate Text

A queda é considerada um evento onde ocorre o deslocamento não intencional do corpo para um nível inferior à posição inicial, causado por diversos fatores, podendo resultar ou não em dano. Queda por ser considerada quando o paciente é encontrado no chão ou quando, em deslocamento, precisa ser amparado, mesmo que não chegue ao chão.

O que estamos mensurando?

Estamos mensurando a incidência de quedas não intencionais dos pacientes internados no Hospital Alvorada.

Fórmula do cálculo?

(Número de Quedas / Número de pacientes/dia) x 1000

Por que isso é importante?

Pacientes hospitalizados podem ficar mais suscetíveis à queda por fatores inerentes a sua condição clínica.

O que nosso desempenho nos diz?

O Hospital Alvorada apresentou uma redução com relação ao número de quedas desde 2011. Entretanto, houve um ligeiro aumento do índice em 2014. Medidas foram tomadas visando a redução desse índice, para tal, empregamos esforços visando a prevenção de quedas em ambiente hospitalar que envolve a identificação dos pacientes com risco de queda, avaliação diária de enfermagem e a implementação de estratégia de prevenção. Em 2015 é possível evidenciar nova queda do índice.

Taxa Global de Mortalidade por Sepse

Alternate Text

O que estamos mensurando?

A taxa de mortalidade dos pacientes que evoluíram a óbito e tinham diagnóstico de Sepse Grave ou Choque Séptico.

Fórmula do cálculo?

(Números de pacotes completos (6hs) / Número de casos de sepse grave e choque séptico) x 100

 Por que isso é importante?

A sepse é uma resposta inflamatória generalizada do organismo a um quadro infeccioso, sua mortalidade ultrapassa 40% estima-se que 35 a 45% dos pacientes sépticos evoluam para um estado de choque, tendo sua mortalidade acima de 60%.

O que nosso desempenho nos diz?

A partir de 2013, após ações internas e constante acompanhamento do indicador, pode-se evidenciar redução do índice. Ainda há espaço para melhorias, portanto, o indicador mantem-se sob acompanhamento e a equipe multiprofissional sempre envolvida, visando a aderência às práticas assistenciais institucionalizadas, bem como a reciclagem e treinamento para absorção das melhores práticas.

*Referências:

ILAS: Instituto Latino Americano de Sepse. Campanha Sobrevivendo à Sepse. Relatório Nacional Julho 2015.


Veja também